Tuesday, January 19, 2010

E se a vida fosse um jogo de póquer?


Arriscar ou Desistir?
Ganhar ou Perder?

Jogadores, façam as vossas apostas. Os jogadores recebem as suas cartas, olham para elas, avaliam o que têm em mãos e decidem o que fazer - ir ou não a jogo. Há aqueles que avançam com uma certeza "tenho um bom jogo", a sorte está do meu lado. Outros ainda avançam com o pensamento "vou fazer bluff", outros ainda desistem, com medo daquilo que vão encontrar.

Fazem-se apostas, viram-se três cartas, a tensão aumenta. Aqueles que decidem ir a jogo não sabem o que os espera, podem ganhar, mas também podem perder. Em qualquer caso, ir a jogo ou ficar pelo caminho, os jogadores tomam uma decisão - arriscar ou não arriscar. É um risco ir a jogo sem saber se o jogo dos outros jogadores é melhor que o deles... Não há certezas, a probabilidade de ganhar ou perder é igual - 50-50, mas se perderem, perdem muito dinheiro. No final, se nos mantivermos em jogo, duas coisas podem acontecer - ganhar o jogo ou perder tudo. Se não pagámos para ver, ficamos quais meros espectadores, a ver o desfecho do jogo.

Com a vida funciona da mesma forma. Apostamos demais, apostamos de menos, arriscamos por vezes, noutras ficamos apenas a olhar... Mas o certo é que, se não arriscamos nunca saberemos o que estava lá à frente. Dependendo da forma como o jogo decorrer, podemos até ver o jogo no final, mas não vamos fazer parte dele, vamos ser meros espectadores. 

Há pouco uma criança dizia-me "quem não arrisca não petisca". É bem verdade. Na nossa vida há momentos em que temos de saber esperar, mas há muitos outros em que a acção é necessária. Ficar parado não é opção. Falar e não agir, pensar e não fazer vai-nos levar apenas a um final - ser meros espectadores na nossa própria vida.
Desistir não é opção. Como me dizia alguem no outro dia, não vale a pena passar para o escorrega se ainda estás a aprender a andar de baloiço. Se não consegues à primeira, continua a tentar, até conseguires. Desistir não é opção. Quem desiste não recebe o maior prémio de todos, o prazer de sorrir no final e perceber que valeu a pena o esforço.

"Esforça-te, e tem bom ânimo." (Josué 1:6)


Póquer à parte, com Deus temos uma certeza, se formos até ao fim, seja qual for o desfecho do jogo, aprendemos que ganhamos sempre.


Somos perdedores ou vencedores?
Dos que desistem ou dos que arriscam?


Shalom!
 

3 comments:

  1. caramba, este exemplo tá muito bacana, tem carisma! ahah a sério amei, está conciso( ou lá o que é) nada melhor que o póker para exemplificar a nossa caminhada!

    ReplyDelete
  2. E não te queixes q não comento =)

    ReplyDelete
  3. ok ok mano, nada de queixumes!

    ReplyDelete

Obrigada pelo teu comentário. Deus te abençoe.