Páginas

Tuesday, December 4, 2012

Chega-te a Mim e Eu me chegarei a ti.

No último domingo tinha uma criança ao meu colo e enquanto adorava o Senhor, o Espírito Santo começou a fluir de uma forma maravilhosa dentro de mim. Senti-me inundada pelo Seu amor, mas profundamente constrangida por aquilo que Deus me falava naquele momento.

Quem é mãe (que não é o meu caso ainda) sabe como um bebé é dependente de si. Aquela criança ainda nem saiu de dentro da mãe e já é totalmente dependente dela para viver. É alimentada pela mãe, é protegida pelo corpo da mãe, os seus orgãos são formados e os seus sentidos apurados dentro do ventre da mãe...  

E enquanto aquela criança cresce durante nove meses no útero da mãe, ela é também nutrida nas suas emoções. Aquele bebé que ainda se está a formar, já sente o amor da mãe, sente a paz ou agitação que a mãe sente, vive as suas alegrias e sente as suas tristezas. E mesmo que ainda esteja "escondida" pela proteção do útero, aquela vida, já sabe que aquela é alguém que ela vai amar, cria com a mãe uma ligação incrível, inalcançável pelo entendimento humano e ininteligível por aqueles que nunca passaram pela experiência da maternidade.


E quando aquela criança nasce, ela já ama a mãe incondicionalmente. A mãe é a heroína, o que ela diz é lei, as suas palavras de amor vão diretas ao seu coração e ela sente o carinho de uma festa, o calor de um abraço, aquela criança sente-se profundamente protegida nos braços daquela mulher. Ela entende o conceito de mãe antes mesmo de saber falar.  

Aquele recém-nascido vai crescendo e sabendo que a sua mãe é especial, que aquela mão que lhe muda a fralda, que a pega ao colo, que a embala, é a mesma que se colocará à frente de tudo e de todos para a proteger. Ela nunca a deixará sozinha. Aquela criança confia totalmente nela. Ela ouve e conhece a sua voz. Chora porque quer o seu colo. Aquele bebé é dependente dela, para tudo. 

É assim que Deus deseja que a Sua Igreja seja nas Suas mãos. Um bebé, esta criança, indefesa, que ama sem reservas, que ouve e reconhece a Sua voz, que é totalmente dependente Dele. 

Deus deseja ser quem nos pega ao colo, embala a nossa dor, o que limpa as nossas lágrimas. Ele quer que tu e eu o amemos como o bebé que nasce e ama a sua mãe, que confiemos Nele como aquele bebé indefeso confia na mãe, que tenhamos os nossos olhos focados Nele, como aquele bebé que reconhece a voz da mãe.  Deus deseja que nós sejamos no Seu colo como uma criança que se aninha, pedindo proteção, pedindo carinho, procurando um abraço e reconhecendo Nele o tudo que precisamos. 

Nos evangelhos vemos sempre uma referência às crianças e percebemos como para Jesus estes pequeninos são importantes. 

Mas Jesus, chamando-os para si, disse: Deixai vir a mim os meninos, e não os impeçais, porque dos tais é o reino de Deus. Em verdade vos digo que, qualquer que não receber o reino de Deus como menino, não entrará nele. Lucas 18:16-17

Jesus não agiu assim apenas porque amava as crianças. Mais do ensinar a amá-las, Ele fez questão de ensinar aos seus discípulos que das crianças é o reino de Deus. Mas mais do que isso, Ele ensinou-lhe e ensina-nos hoje que importa que tu e eu tenhamos um coração como o de uma criança para entrar no reino de Deus.

Um coração que se entrega de forma pura e desinteressada. Um coração dependente, que O vê como o bebé vê a sua mãe. Que confia totalmente, sem reservas. Que acredita na palavra que sai da Sua boca, porque tal como o bebé, acredita que tudo o que Ele diz é lei, é A verdade. 

(...) nunca lestes: Pela boca dos meninos e das criancinhas de peito tiraste o perfeito louvor? Mateus 21:16

Da boca dos meninos, as crianças, e das criancinhas de peito, os bebés de colo, bebés que ainda são amamentados pelas mães, ouvimos o "perfeito louvor". Não sei se já alguma vez pensaram nisto, mas não vos parece um pouco confusa a ideia de um bebé a louvar? É que a mim pareceu-me incrivelmente estranho.

Segundo o dicionário Priberam da Língua Portuguesa e a infopédia Louvar significa elogiar, bendizer (= abençoar). Como é que um bebé pode elogiar ou abençoar? Uma criança que já sabe falar, ainda podemos entender, mas um bebé? Não acham estranho? Se a única coisa que sai da boca de um bebé é choro, será o choro o perfeito louvor? 

Depois de pensar muito nisto percebi algo. Não é o conteúdo que sai da boca que importa, é o conteúdo que sai do coração. Da boca de um bebé de colo ou de um recém-nascido não saem palavras como "tu és grande Deus", "oh santo Deus", nem nada do género. E se calhar nem tão pouco da boca de uma criança, porque são palavras que ela ainda nem aprendeu. E convenhamos, é demasiado elaborado, é coisa de adultos. 

Mas quando eles abrem a boca para chorar, para cantar, para dizer palavras agradáveis ou para emitir sons, eles encerram em si mesmos aquilo que de mais puro existe: a Essência da Adoração. 

E a palavra adoração significa grande afeição, veneração. O ato de adorar é estimar, amar apaixonadamente.  

Quando uma criança abre a boca para elogiar alguém, ela fá-lo porque ela gosta dessa pessoa, ela estima essa pessoa, ela ama. 

Se uma criança abre a boca para dizer "eu gosto de ti" é porque ela realmente gosta de ti. Se ela abre a boca para dizer "tu cheiras bem", é porque ela acha realmente que tu cheiras bem. Se uma criança abre a boca e diz "tu és linda", ela fá-lo porque ela acha que tu és linda. 

Uma criança louva-te com o seu coração. Ela elogia-te porque ela tem uma estima especial por ti e ela quer que tu saibas disso. Ela quer a tua atenção e para atraí-la, ela elogia-te, ela mostra como te ama, como é apaixonada por ti.  

Quando um bebé abre a boca para chorar, ele fá-lo para chamar a atenção. O bebé precisa de ajuda. Precisa que lhe mudem a fralda, ou que lhe dêem de comer, ou que lhe dêem colo, ou que lhe tirem a dor de barriga... Ele precisa, então ele chora. O bebé chora para atrair a presença da mãe. O seu choro não diz "eu amo-te", é certo. Mas o seu choro clama desesperadamente pela presença daquela que é tudo para ele. 

O perfeito louvor clama a presença Daquele que é tudo para nós. O perfeito louvor atrai a presença  Daquele que pode suprir todas as nossas necessidades, físicas, espirituais, materiais... todas. 

O perfeito louvor nasce da essência da adoração. Nasce da consciência de que precisamos desesperadamente Dele na nossa vida. Tal como aquele bebé que depende totalmente de alguém para fazer tudo e por isso chora. 

Nós queremos, mas mais do que isso, nós precisamos, da atenção de Deus, porque dependemos Dele para viver. E para atraí-lo e conseguir a sua atenção, nós louvamo-lo, elogiamo-lo, dizemos como Ele é lindo, como o seu perfume é suave, como Ele é bom, como o amamos.

Chegai-vos a Deus, e ele se chegará a vós. Alimpai as mãos, pecadores; e, vós de duplo ânimo, purificai os corações. Tiago 4:8

Chega-te a Deus hoje. Como essa criança que elogia, como esse bebé que grita por atenção, atrai a  atenção Dele. Atrai a presença de Deus para a tua vida.  

Purifica o teu coração, porque só quem é puro de coração consegue "chegar-se a Deus". Limpa as tuas mãos. Livra-te de tudo o que te impede de te chegares a Ele. Deixa para trás as tuas iniquidades, o teu pecado, ou seja, tudo o que fazes e que sabes que desagrada a Deus, porque é isso que te separa Dele, são esses erros dos quais não te arrependes e que continuas a repetir, que levam Deus a esconder o Seu rosto de ti e que impedem que Ele te ouça. (Isaías 59:2)

Reconhece no teu coração que precisas Dele, que dependes totalmente Dele para viver. Regressa à essência da adoração. Deixa que da tua boca saia o perfeito louvor e então, como criança, entra no Seu reino. 

E não me refiro a ires para o Céu quando morreres, mas a teres a honra de entrar na Presença de Deus, na Intimidade do Pai. 

Chega-te a Ele e Ele se chegará a ti. 

Shalom!

No comments:

Post a Comment

Obrigada pelo teu comentário. Deus te abençoe.